sábado, 14 de maio de 2016

25/03/2016 - 15:00

Jocum e SBB querem distribuir 50 milhões de Bíblias

A ideia é contar com a participação de cristãos de todo o Brasil

A JOCUM (Jovens com uma Missão) e a Sociedade Bíblica do Brasil (SBB) estão juntas no projeto “A Bíblia em cada casa” que até 2050 deverá entregar 50 milhões de exemplares da Bíblia para os 5.573 municípios brasileiros.
A ideia é atrair igrejas e pessoas de todas as regiões do país para participarem da entrega de uma Bíblia para as famílias brasileiras.
“A entrega da Bíblia para cada casa só acontecerá pela ampla cooperação das igrejas e dos cristãos individualmente. Temos a expectativa de ter líderes de todas as denominações cristãs transmitindo o desejo de que a Bíblia esteja nas casas de municípios inteiros, ou em bairros inteiros de grandes cidades”, afirma Mário Rost, gerente de Desenvolvimento Institucional e coordenador do movimento pela SBB.
A participação dos cristãos é de extrema importância, pois foi o desejo deles de entregar exemplares do Livro Sagrado para as famílias que nunca tiveram acesso a esse livro foi a inspiração para a criação desse projeto.
Um site exclusivo para o projeto foi criado para que os interessados em participar desse movimento tenham informações de como será essa distribuição, que deve ser uma ação diferenciada e pessoal.
“Nossa expectativa é levar a mensagem do Evangelho para a família brasileira e, por meio da Palavra de Deus, seus valores e ensinamentos; promovendo o fortalecimento dos vínculos familiares. Além disso, ao consolidar a Bíblia como o livro de cabeceira da família brasileira, ela será a principal fonte de orientação para a vida de todas as pessoas; contribuindo para que a sociedade seja mais justa, fraterna e humana”, conclui Rost.
Mais de 16 cidades de Norte a Sul do país já foram impactadas pelo programa, incluindo comunidade urbanas e duas ribeirinhas na região amazônica. “As pessoas são receptivas tanto para receberem a Bíblia, quanto para conversar sobre suas vidas, sua fé ou a falta dela”, afirma Wellington Oliveira presidente e coordenador do movimento pela Jocum.
10/04/2016 - 17:00

Movimento pentecostal moderno completa 110 anos com avivamento

Azusa Street Now reuniu cerca de 120 mil pessoas em Los Angeles

O pastor William J. Seymour, 43 anos, era negro, filho de ex-escravos e apesar de todo preconceito que sofreu, foi um dos fundadores do movimento pentecostal moderno. As pregações que fazia em 1906 nas reuniões de oração realizadas no número 312 da rua Azusa, em Los Angeles, insistiam que a evidência do batismo no Espírito Santo era o falar em línguas estanhas.
Seu ensinamento foi combatido durante muito tempo por pastores locais, classificado de “estranha doutrina”. Mas em 9 de abril de 1906, após cinco semanas de pregação e de oração de Seymour, as pessoas começaram a ser batizadas com o Espírito Santo em um movimento de avivamento que durou cerca de 10 anos e deu origem a diferentes denominações pentecostais no planeta.
A mais conhecida é a Assembleia de Deus, maior denominação evangélica e pentecostal do mundo, contabilizando mais de 66 milhões de membros. Ela também é a maior do Brasil, onde foi fundada em 1911 e hoje reúne cerca de 12 milhões de pessoas.
Em comemoração aos 110 anos de avivamento, o ministério The Call organizou um megaevento em Los Angeles, neste sábado 9 de abril. Liderados pelo evangelista Lou Engle, o encontro tinha um ideal profético. Diversos outros ministérios estão apoiando a iniciativa.
Baseados no trecho de Atos 1:12-24, que conta como 120 pessoas estavam reunidas no Cenáculo em Jerusalém aguardando a descida do Espírito Santo, o ministério anunciou que reuniria 120 mil no estádio Colisseum Memorial. Batizada de Azusa Now, a reunião durou 15 horas. A chamada do evento afirmava que seria uma oportunidade para “unidade, milagres, cura e a proclamação do evangelho”.
Evento Azusa Now
Embora o local escolhido ficasse em Los Angeles, próximo a antiga rua Azusa, milhões de cristãos ao redor do mundo tiveram a oportunidade de assisti-lo pela internet.  O site God TV e os canais pagos TBN, Juce TV e Daystar também transmitiram ao vivo para todo o mundo.
A iniciativa foi paralela a outros eventos em busca de um avivamento mundial, como o UnitedCry, que reuniu no mesmo dia 30.000 pastores na capital Washington para “oração de arrependimento e clamor pelo despertamento espiritual dos EUA”.
Em outros países de fala inglesa, diferentes ministérios montaram eventos paralelos para um clamor similar. Na África do Sul, a Central Parks City Church alugou um ginásio local para transmitir o evento a uma multidão de evangélicos de diferentes denominações.
De acordo com TheCall, ministério de intercessão presente em vários países do mundo, o avivamento de 1906 foi baseado em três fatores principais: “Houve uma reunião multiétnica de seguidores de Cristo (Atos 2: 1-11). Em segundo lugar, o ministério miraculoso do Espírito Santo manifestou-se (Atos 2: 2-4). Finalmente, houve uma apresentação clara do evangelho levando muitos à salvação (Atos 2: 37-41) “.
Eles acreditam que Deus deseja mover-se com o mesmo poder e propósito hoje. “Precisamos de um verdadeiro jubileu de amor e misericórdia para varrer a nossa terra”, declaram os organizadores do evento.
“A única resposta para o mundo pode ser encontrada em Cristo. Oração, amor e unidade continuam a ser o modelo de Atos 2 para nós”. Os ministérios envolvidos no Azusa Now acreditam que esse pode ser o início de um avivamento mundial e até o mover final do Espírito nesses últimos dias.
O portal Gospel Prime acompanhou parte da transmissão pela internet e ouviu vários testemunhos de pessoas que foram curadas. Alguns vídeos com esses registros já estão circulando nas redes sociais.
Uma igreja evangélica do distrito de Jaci-Paraná, a 90 km de Porto Velho (RO), organizou um mutirão de doação de sangue para ajudar a Fundação de Hematologia e Hemoterapia de Rondônia (Fhemeron).
Mais de 50 jovens da Igreja Adventista do Sétimo Dia viajaram até a capital para doar sangue, ajudando a aumentar o estoque de sangue da unidade.
Um ônibus fretado do Consórcio do Sistema Integrado Municipal de Transporte de Passageiros (SIM) apoiou a atitude e levou os jovens até Porto Velho gratuitamente.
De acordo com o pastor Jorge Amoras, coordenador do clube de líderes de jovens da igreja, o projeto de doação de sangue é realizado há dez anos.
“Solicitamos a parceria com o SIM para trazer os doadores até a capital, já que eles moram há 90 quilômetros da cidade. Além deles mais membros da Igreja estarão doando”, disse.
A expectativa era que pelo menos 200 pessoas fossem até o SIM doar sangue, uma quantidade significativa que irá ajudar pacientes que precisam de transfusão.
A assistente social da Fhemeron, Maria Luiza Pereira, destacou ao G1 a importância dessa mobilização da igreja diante das necessidades do banco de sangue da capital.
“Em abril a necessidade de doação quase que dobrou. Essa campanha é realizada por jovens que podem está retornando e fazendo novas doações, dando um maior estoque. Com essas doações de hoje, superaremos em 500% da média normal de um sábado, pois coletamos apenas 30 bolsas, em média, nos fins de semana”, disse ela.
Moradores da região que desejarem doar sangue para o projeto “Vidas por Vidas” precisam apenas se dirigir até a Fhemeron e se oferecer como doador de sangue.
Para doar é preciso levar um documento original de identidade com foto; ter peso superior a 50 quilos; idade entre 16 e 69 anos; não estar em jejum e não ter ingerido alimentos gordurosos nas últimas três horas.
Você também pode ajudar os bancos de sangue de sua cidade.

quarta-feira, 11 de maio de 2016

https://accounts.google.com/SignOutOptions?hl=pt-PT&continue=https://plus.google.com/
https://www.facebook.com/IeadrmpIgrAssDeDeusRestituicaoMissaoEPaz/

@IEADRMPIGREJAEV

“Arca de Noé” chega ao Brasil nas Olimpíadas

Réplica ficará no país por dois anos

Arca de Noé construída pelo holandês Johan Huibers foi inaugurada em 2012. Dono de uma empresa de construção civil, em Dordrecht, perto da capital Amesterdã, Hubiers é evangélico e decidiu seguir passo a passo as instruções encontradas no Livro de Gênesis sobre a Arca original.
O custo total foi de quase um milhão e meio de dólares. Embora existam debates entre os estudiosos sobre as medidas, a réplica mede cerca de 135 metros de comprimento, 22,5 metros de largura e 13,5 metros de altura, que correspondem às proporções dos côvados indicados nos capítulos 6 a 9 de Gênesis.
O resultado é um verdadeiro navio, que tem quatro andares e o comprimento de um campo de futebol.
Com capacidade para 5.000 pessoas, o projeto é trazer a arca junto com as palestras, filmes e discussões bíblicas que são promovidas nela desde a inauguração. A embarcação funciona ainda como uma espécie de museu, com réplicas de animais em tamanho natural, mostrando como deve ter sido durante o dilúvio.
Nesses 4 anos, já foi visitada por mais de 600 mil pessoas. Huibers, que já trabalhou como missionário, agora deseja espalhar sua missão evangelística pela América do Sul, Central e do Norte.
Conforme o site oficial, trata-se de uma “jornada da esperança”. Seu primeiro destino fora da Holanda é o Brasil. Ele planeja chegar com a réplica bíblica durante as Olimpíadas e ficar no país durante um período de dois anos (podendo chegar a até quatro).
Huibers anunciou que além de oferecer acesso livre as populações carentes e órfãos do país, pretende entregar Bíblias para cada criança que visitar a embarcação.
Além do Rio de Janeiro o roteiro da Arca incluiria Fortaleza, Manaus, Belém, Recife, Salvador, Vitória, Santos, Florianópolis e Porto Alegre. Posteriormente, seguiria para Montevidéu, no Uruguai, Buenos Aires, na Argentina, San Francisco e Seattle, nos EUA. Com informações de Christian He
2/05/2016 - 13:00

Conheça as maiores igrejas evangélicas do mundo

Igreja do Evangelho Pleno de Yoido é frequentada por 480 mil fiéis semanalmente.

A organização cristã Leadership Network, que faz avaliações periódicas da situação das igrejas no mundo, fez recentemente um levantamento sobre os maiores templos evangélicos do mundo.
Se nos anos 1980, quando o conceito de megaigreja surgiu, o tamanho mínimo de uma “mega” era 3 mil membros, hoje esse número aumentou exponencialmente. Entre as maiores igrejas norte-americanas, os números variam entre 30.000 e 40.000 pessoas por semana nos cultos. Contudo, obanco de dados compilado pelo pesquisador Warren Bird, mostra que algumas tendências estão em crescimento.
  • 62% possuem vários locais de culto (multisite) – eram 46% cinco anos atrás
  • 30% possuem uma igreja on-line, que oferece mais do que transmissão dos cultos
  • 57% servem a ceia todo culto, ou várias vezes por mês, como parte de louvor
  • A maioria dos membros “concorda totalmente” que sua igreja tem uma missão e propósitos bem claros, algo raro nas igrejas menores.
Os pesquisadores afirmam que a maior igreja do mundo continua na Ásia, mais especificamente na Coreia do Sul. Não há rival em tamanho para a Igreja do Evangelho Pleno de Yoido, em Seul, que possui 480.000 pessoas frequentando toda semana.
Fundada em 1958 pelo pastor Paul Yonggi Cho, continua ligada às Assembleias de Deus da Coreia. Desde 2008 ela é liderada pelo pastor Young Hoon Lee. Ela começou na sala de estar na sala dos fundadores e hoje possui diferentes locais de culto, inclusive fora da Coreia. Todos eles são interligados, mas pertencem ao mesmo ministério.
Para efeitos de comparação, a segunda maior megaigreja da Coreia é a Onnuri Community Church, de linha presbiteriana, com 75.000 pessoas frequentando semanalmente. Ao total, existem 38 megaigrejas no país.
Contudo, o economista e pregador Zhao Xiao afirma que, por ser considerada ilegal, pouca gente sabe que a maior igreja do mundo estaria na China. Ele afirma que há uma igreja na China que compreende de 100.000 congregações, onde cada congregação é formada por uma média de 50 pessoas. Logo, o número total de membros ultrapassa cinco milhões. Como ela não tem um templo oficial, acabou não sendo contabilizada no levantamento a Leadeship Network.
Na África, os investigadores relatam que a maior igreja da região é o Ministério de Vida Cristã Profunda. Sediada na Nigéria, é uma igreja pentecostal que não está ligada a nenhuma denominação. Ela congrega 75.000 por semana. Ao total, são 25 megaigrejas nigerianas.
Berço do movimento missionário mundial do século 19, a Europa vive um declínio na frequência das igrejas. Uma exceção é a Igreja da Fé, localizada na Hungria. Liderada pelo pastor Sandor Nemeth, o templo pentecostal tem uma frequência média semanal de 8.000.
No continente americano, os Estados Unidos lideram no número de megaigejas, que passa de 200. Contudo, o maior templo é da Lakewood, que congrega 42 mil. Já na América Central, com população bem menor, destaque para a Missão Cristiana Elim, em El Salvador, com frequência semanal de 50.000.  Ela já abriu quase 100 igrejas-filhas nos Estados Unidos, Canadá, Guatemala, Honduras, Peru, Espanha e Austrália.
Mesmo assim, o maior templo evangélico do continente é a “Cidade Mundial”, da Igreja Mundial do Poder de Deus, com frequência de 150 mil pessoas. Já o maior em espaço construído é o Templo de Salomão, pertencente à Igreja Universal do Reino de Deus, com a capacidade de reunir 10 mil por culto. Erguido em uma área de 35 mil m², equivalentes a cinco campos de futebol, tem uma área de pavimentos de 100 mil m² – quatro vezes o tamanho do Santuário de Aparecida, o maior templo católico. Os dois tempos ficam no Brasil, mas não há levantamentos de quantas são as megaigrejas brasileiras.
Do outro lado do mundo, vem da Oceania o famoso ministério da Igreja Hillsong. Com sede na Austrália, sua frequência média semanal passa de 30.000. Segundo o site da denominação, suas igrejas em todo o mundo reúnem mais de 100.000.
Existem Hillsongs nos EUA, na Inglaterra, França, Suécia, África do Sul, Rússia e Ucrânia. Em breve uma filial brasileira deve ser inaugurada em São PauloCom informações Christian Post

http://app.vc/ieadrmp O APP DA IGREJA BAIXE AI NO SEU TELEMÓVEL